A Origem, O Confronto e A Guerra: “Planeta dos Macacos” chega ao embate final 3 de agosto de 2017

Filme estreia nos cinemas brasileiros nesta quinta-feira

A batalha épica entre macacos e seres humanos, que chega ao seu confronto final, desembarca nos cinemas brasileiros hoje, 03 de agosto. É o capítulo final da sequência de três filmes; porém, com certeza, não o fim da saga, que já vem fazendo história desde a 1ª adaptação para as telonas, em 1968.

Em “Planeta dos Macacos: A Guerra”, César (vivido por Andy Serkis) e seu grupo são forçados a entrar em guerra contra o exército do impiedoso coronel (Woody Harrelson). Desse mundo em que parte dos macacos falam e muitos humanos não têm habilidades de comunicação, dependerá o futuro do planeta.

Em evidência na crítica cinematográfica estrangeira, em especial na norte-americana onde o filme estreou em julho, “Planeta dos Macacos: A Guerra” divide opiniões. Para Peter Traves, da The Rolling Stones, é um dos melhores filmes de macacos dos últimos tempos, o mais épico e ambicioso já feito, que deve trazer a Andy Serkis um Oscar no próximo ano pela brilhante atuação.

Já para o crítico Michael O’Sullivan, do Washington Post, o título da nova obra não condiz com a narrativa, que – segundo ele – inclui mais momentos de contemplação e conversa do que cenas propriamente de campos de batalha e guerra. Um dos aspectos elogiado por muitos, no entanto, foi quanto à qualidade técnica utilizada, a de captura de movimentos por computação gráfica, que já está presente nos filmes desde 2011 (em A Origem), mas que se aprimorou muito e trouxe extrema realidade aos movimentos, emoções e ações dos símios.

A narrativa traz, ainda, como pano de fundo, uma discussão pertinente à sociedade atual. Sendo os macacos representantes de uma cultura diferente da dos humanos, o filme destaca os riscos da falta de empatia por pessoas de diferentes culturas, o que pode levar às guerras e aos conflitos.

Trilha Sonora
Outro fator de relevância na composição da obra é a trilha sonora de Michael Giacchino que, de cara, já transporta o espectador para o universo da narrativa. Ouça no Spotify e entre no clima!

Tire suas próprias conclusões
Se o longa é bom ou não é, isso só você poderá dizer. Então, escolha um dos cinemas parceiros do seu Zaffari Card e Bourbon Card, aproveite até 30% de desconto e boa sessão!
Arcoplex
Cinespaço Novo Hamburgo
Cinespaço Bourbon Wallig
Cinesystem São Leopoldo e São Paulo
Espaço Itaú de Cinema Bourbon Country
Espaço Itaú de Cinema Bourbon São Paulo

Cronologia
Relembre a evolução da saga Planeta dos Macacos:

1963 – O francês Pierre Boulle lança o livro “O Planeta dos Macacos”.
1968 – O diretor Franklin J. Schaffner faz a 1ª adaptação para o cinema.
1970 – O filme ganha sequências com Ted Post dirigindo “De Volta ao Planeta dos Macacos”.
1971 – Don Taylor dá continuidade com “Fuga do Planetas dos Macacos”.
1972 – J. Lee Thompson assume a direção em “A Conquista do Planeta dos Macacos”.
1973 – É lançado “A Batalha do Planeta dos Macacos” do mesmo diretor do ano anterior.
2001 – Hollywood volta a se interessar pela franquia e Tim Burton dirige um novo filme também intitulado “Planeta dos Macacos”.
2011 – Dez anos depois, utilizando a moderna técnica de captura de movimentos, Rupert Wyatt traz às telonas “Planeta dos Macacos: A Origem”. O elenco já contava com Andy Serkis no papel de César.
2014 – Sob nova direção, a franquia ganha continuidade nas mãos de Matt Reeves com “Planeta dos Macacos: O Confronto”.
2017 – Estreia o que é para ser o último filme desta sequência: “Planeta dos Macacos: A Guerra”.






A Origem, O Confronto e A Guerra: “Planeta dos Macacos” chega ao embate final

03 de agosto de 2017

Filme estreia nos cinemas brasileiros nesta quinta-feira

A batalha épica entre macacos e seres humanos, que chega ao seu confronto final, desembarca nos cinemas brasileiros hoje, 03 de agosto. É o capítulo final da sequência de três filmes; porém, com certeza, não o fim da saga, que já vem fazendo história desde a 1ª adaptação para as telonas, em 1968.

Em “Planeta dos Macacos: A Guerra”, César (vivido por Andy Serkis) e seu grupo são forçados a entrar em guerra contra o exército do impiedoso coronel (Woody Harrelson). Desse mundo em que parte dos macacos falam e muitos humanos não têm habilidades de comunicação, dependerá o futuro do planeta.

Em evidência na crítica cinematográfica estrangeira, em especial na norte-americana onde o filme estreou em julho, “Planeta dos Macacos: A Guerra” divide opiniões. Para Peter Traves, da The Rolling Stones, é um dos melhores filmes de macacos dos últimos tempos, o mais épico e ambicioso já feito, que deve trazer a Andy Serkis um Oscar no próximo ano pela brilhante atuação.

Já para o crítico Michael O’Sullivan, do Washington Post, o título da nova obra não condiz com a narrativa, que – segundo ele – inclui mais momentos de contemplação e conversa do que cenas propriamente de campos de batalha e guerra. Um dos aspectos elogiado por muitos, no entanto, foi quanto à qualidade técnica utilizada, a de captura de movimentos por computação gráfica, que já está presente nos filmes desde 2011 (em A Origem), mas que se aprimorou muito e trouxe extrema realidade aos movimentos, emoções e ações dos símios.

A narrativa traz, ainda, como pano de fundo, uma discussão pertinente à sociedade atual. Sendo os macacos representantes de uma cultura diferente da dos humanos, o filme destaca os riscos da falta de empatia por pessoas de diferentes culturas, o que pode levar às guerras e aos conflitos.

Trilha Sonora
Outro fator de relevância na composição da obra é a trilha sonora de Michael Giacchino que, de cara, já transporta o espectador para o universo da narrativa. Ouça no Spotify e entre no clima!

Tire suas próprias conclusões
Se o longa é bom ou não é, isso só você poderá dizer. Então, escolha um dos cinemas parceiros do seu Zaffari Card e Bourbon Card, aproveite até 30% de desconto e boa sessão!
Arcoplex
Cinespaço Novo Hamburgo
Cinespaço Bourbon Wallig
Cinesystem São Leopoldo e São Paulo
Espaço Itaú de Cinema Bourbon Country
Espaço Itaú de Cinema Bourbon São Paulo

Cronologia
Relembre a evolução da saga Planeta dos Macacos:

1963 – O francês Pierre Boulle lança o livro “O Planeta dos Macacos”.
1968 – O diretor Franklin J. Schaffner faz a 1ª adaptação para o cinema.
1970 – O filme ganha sequências com Ted Post dirigindo “De Volta ao Planeta dos Macacos”.
1971 – Don Taylor dá continuidade com “Fuga do Planetas dos Macacos”.
1972 – J. Lee Thompson assume a direção em “A Conquista do Planeta dos Macacos”.
1973 – É lançado “A Batalha do Planeta dos Macacos” do mesmo diretor do ano anterior.
2001 – Hollywood volta a se interessar pela franquia e Tim Burton dirige um novo filme também intitulado “Planeta dos Macacos”.
2011 – Dez anos depois, utilizando a moderna técnica de captura de movimentos, Rupert Wyatt traz às telonas “Planeta dos Macacos: A Origem”. O elenco já contava com Andy Serkis no papel de César.
2014 – Sob nova direção, a franquia ganha continuidade nas mãos de Matt Reeves com “Planeta dos Macacos: O Confronto”.
2017 – Estreia o que é para ser o último filme desta sequência: “Planeta dos Macacos: A Guerra”.


Topo
© Grupo Zaffari. Todos os Direitos Reservados | Política de Privacidade