Menu

Notícias

28/09/2020

Prepare uma viagem gastronômica sem sair de casa

Sabores e culturas distantes esperam por você em um roteiro cosmopolita

Um dos melhores momentos de uma viagem é planejar. Quem gosta de passear acaba atraindo vários países para casa, através da música, dos livros, da gastronomia. Os aromas e sabores de cada região são os melhores guias para a cultura e história locais. Para saciar esse desejo, convidamos você para imaginar um tour gastronômico pelo mundo. Confira nossa sugestão de roteiro, salpicado de destinos turísticos. Eles ficam mais próximos quando você experimenta o que o Zaffari e o Bourbon trazem de longe para sua cozinha. Ao invés de preparar as malas, convidamos você a aproveitar os sabores internacionais com todas as vantagens que o Zaffari Card e Bourbon Card oferecem.

Grécia. A origem dos clássicos.

As praias paradisíacas são as rotas de entrada para o mundo antigo dos filósofos, da mitologia e da beleza artística. Além da sabedoria, o que não podia faltar para os gregos eram a vinha e a oliva. No passado, as vinícolas helênicas produziam um vinho tão forte que exigia-se a diluição em água para apreciá-lo da forma ideal. A arte de atingir a dosagem certa era central para os famosos encontros dos pensadores com a elite. Por outro lado, a ideia de um azeite de oliva puro à perfeição, extravirgem, não admite misturas, certo? Não é à toa que a oliveira atinge um patamar divino na cultura clássica. Segundo a mitologia, a árvore foi um presente da deusa Atena aos fundadores da cidade que leva seu nome. E se o vinho e o azeite eram prazeres ao alcance dos mortais, algumas delícias eram reservadas às divindades do Olimpo. Estamos falando da ambrosia, a sobremesa conhecida como Manjar dos Deuses, especialidade grega que você pode preparar em casa.

Florença. A arte da culinária na capital do Renascimento italiano.

A região da Toscana é uma das mais visitadas da Itália, e sua principal cidade é a histórica Florença, um centro de efervescência cultural e comercial que foi o principal palco do Renascimento nos séculos XV e XVI. A arquitetura é uma galeria de arte a céu aberto e seu mais belo exemplar está no alto, o monumental Duomo da Catedral Santa Maria del Fiore. Nos museus, obras de gênios como Leonardo da Vinci, Michelangelo e Botticelli revelam toda a inovação dos mestres renascentistas. Já a culinária florentina concentra o espírito da Toscana, tradicionalíssima. A pappa al pomodoro é um bom exemplo: uma sopa de tomates necessariamente típicos da região, os costolutos florentinos. Sua receita inclui pães “dormidos” preparados sem sal, costume que se mantém desde a Idade Média. Que tal experimentar uma receita toscana mais antiga que a própria Renascença? Uma verdadeira viagem no tempo cheia de sabores.

Floresta Negra. Alemanha com sabores de contos de fadas.

A Floresta Negra é um lugar mágico. De todos os recantos alemães que remetem a contos de fadas, a belíssima e um tanto assustadora Schwartzwald é uma região montanhosa que se estende pelas fronteiras com a Suíça e a França. Os densos bosques de pinheiros deram origem a inúmeras lendas e aventuras mágicas, como a conhecida fábula de João e Maria, duas crianças que se perdem na floresta e encontram uma casa feita de doces. Dizem que os Irmãos Grimm, autores desta e outras histórias folclóricas, encantaram-se com maravilhas da confeitaria local – além de boas doses do lendário schnapps, típico licor de cereja. Daí também vem a legítima cereja do bolo Floresta Negra, o Schwarzwälder Kirschtorte. Tanto na cidade de Friburgo quanto nos pitorescos vilarejos do interior, fatias generosas dessa delícia com chantilly, cerejas e chocolate circulam pelas mesas dos turistas em aconchegantes cafés junto às montanhas. A autoria ainda é um mistério, mas a receita não tem segredo. Experimente nossa versão no potinho.

Bretanha Francesa. Exigência pela excelência.

Os franceses são muito orgulhosos de sua cuisine e para eles é fundamental não confundir nomes de pratos, procedências de ingredientes, as sazonalidades de cada iguaria. Na Bretanha, por exemplo, onde se prepara a tradicional galette, insiste-se aos turistas que não se trata de um crepe. Nessa região, lar de lindíssimas atrações como a cidade murada de Saint Malô e a medieval Dinan, a principal diferença está no recheio, pois a galette é feita de sabores salgados. Além da galette outras especialidades como biscoitos e bolachas amanteigados, vendidos em latas decoradas, são típicos souvenirs no centro turístico de Rennes, a capital da região. Mas voltemos à galette bretã. Pode chamar de panqueca, de torta e até de pizza, só não pode chamar de crepe, d’accord? Aprenda a preparar em casa.

Dizem que Portugal é “giro”. Que tal uma voltinha por lá? 

Portugal é um país pequeno. E também é “giro”, ou seja, muito legal! O mundo conhece seus típicos azulejos coloridos; suas iguarias gastronômicas como o vinho do Porto, o puríssimo azeite de oliva do Alentejo e o divino pastel de Santa Clara; além de sua literatura com Luís de Camões e os versos de Fernando Pessoa. Todavia, ao menos para os turistas, o maior símbolo de Portugal é um peixe em especial: o bacalhau. A pesca e a salga das postas garantiram um alimento importante para as viagens de longas distâncias que trouxeram os navegadores à América e finalmente ao Brasil. As receitas são inumeráveis. Bacalhau à Gomes de Sá, às Natas ou à Brás, sem falar no famoso bolinho (conhecido por lá como “pastel de bacalhau”). Experimente o confit de bacalhau do Receitas Zaffari.

Ciudad de México. Uma capital para degustar despacito

Tomate, pimenta, cacau, milho. Esses são só alguns dos ingredientes naturais do México que há séculos encantam o mundo da gastronomia. A importância do milho remonta à própria cosmologia das civilizações Maia e Asteca, para falar só das mais famosas. E se as espigas e os grãos tinham tudo a ver com a origem da humanidade, hoje não há cardápio na Cidade do México sem prato a base de milho. O amarelinho dos nachos e tacos é praticamente a cor da culinária típica: sempre acompanhados de sua inseparável companheira, a pimenta super picante e saborosa. A capital mexicana é uma das mais populosas do mundo e entre suas atrações está o Templo Mayor dos astecas, descoberto bem no centro da cidade por arqueólogos. E como parte do tour gastronômico, que tal se surpreender com nossa receita de creme de milho com bacon?

Bienvenidos ao Uruguai, a terra do doce, do salgado e do amargo.

De todas as belezas e delícias do Uruguai, o doce de leite é o produto mais lembrado e desejado pelos turistas. Puro ou no recheio dos alfajores, sua fama tem a ver com a alta qualidade do leite das vaquinhas uruguaias. Uma curiosidade: não havia gado na América do Sul até a chegada dos Espanhóis no século XVI. Pois então, os bovinos acabaram se tornando um símbolo do Uruguai, de importados a produto de exportação. A parrilla é mundialmente famosa, se bem que os pescados não ficam para trás. As praias da turística Punta del Este e da tranquila Cabo Polônio são hoje destinos de muitos brasileiros pela beleza natural, a gastronomia variada e a simpatia do povo. Clique e saiba como preparar uma torta de alfajores muy deliciosa.

A jornada foi longa ou você iria mais longe? Coloque mais continentes nos seus planos e mais ingredientes na sua despensa para os próximos tours. O Zaffari Card e Bourbon Card pode ajudar, como um agente de viagens da sua cozinha. A gente se sente mais cosmopolita experimentando o que vem de culinárias longínquas, não é? E assim acabamos aprendendo mais ainda sobre nossa própria cultura. Até a próxima viagem!

Notícias mais lidas

Ainda não é cliente?

Cadastre seu e-mail no campo abaixo para conhecer todos os benefícios do Cartão Zaffari e receber notícias e novidades.

App Zaffari e Bourbon

Acesso rápido e simples a tudo que você precisa saber sobre o seu cartão.

Baixe nosso aplicativo na App Store! Baixe nosso aplicativo na Google Play!
Olá! Estamos aqui para ajudar!

Fechar
Atendimento ao cliente